Carla Camurati

Carla Camurati

Nascida em 14 de outubro de 1960, Carla Camurati inicia sua vida acadêmica na Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), cursando biologia, entra na escola de interpretação do ator e cineasta Buza Ferraz, desistindo da faculdade para dedicar sua carreira de atriz. Chegou a atuar em novelas da Globo, do SBT, no teatro com a peça “Flicts”, de Ziraldo e em filmes como “O olho mágico do amor” (1981), de Chico Botelho, lhe rendendo prêmio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Gramado. Logo após trabalhar em oito filmes, ganhou o Prêmio Air France de Cinema como melhor atriz pelo filme “A estrela nua” (1986) e venceu como melhor atriz nos Festivais de Gramado e Natal por sua interpretação no filme “Pagu” (1987).

A partir de 1987 vai para trás das câmeras, dirigindo dois curtas-metragens intitulados de: “A mulher fatal encontra o homem ideal” (1987) e “Bastidores” (1990). “Carlota Joaquina – Princesa do Brasil” foi o título de seu primeiro longa-metragem, além de ter sido um sucesso nos anos 90, foi um marco da retomada da produção nacional. Em 1997 lança “La serva padrona” baseado na ópera de Pergolesi, no teatro dirigiu “Madame Butterfly”, de Puccini, com regência de Isaac Karabichevisk (1999).

Em 2001 realiza seu terceiro longa-metragem “Copacabana”, obra inspirada em histórias passadas no bairro carioca. No mesmo ano, expande seu trabalho como produtora e distribuidora, inaugurando a Copacabana Filmes. Em 2003 é encarregada de ser organizadora e idealizadora do Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), em parceiria com o Cinemark.

Em 2007, assume a presidência do Teatro Municipal por convite de Adriana Rattes, secretária de cultura do Estado do Rio de Janeiro, comandando também a reforma do teatro.

* Texto por Ana Izidoro

(Visited 1 times, 1 visits today)
Born in: 1960

No videos found

Translate »