Orérembiú eteí em Mbyá-Guarani “nossa própria comida”

Mulheres destacadas nesta obra

O vínculo do grupo Mbyá-Guarani com a alimentação está diretamente relacionado ao território, à cosmologia, aos rituais e às práticas relacionadas à saúde. A continuidade da agricultura Guarani é de essencial importância para a permanência da agrobiodiversidade e da segurança alimentar do grupo. Tradicionalmente eles se alimentavam de animais que habitam a mata atlântica como peixes, porcos do mato, pacas, aves, como o urú, frutas como abacaxi, melancia e jabuticaba, tubérculos locais, mandioca, taiá, cará, mangarito, batata-doce, diversidade de mel e uma grande variedade de espécies de milho. Atualmente recorrem à compra de alimentos e eventuais doações, em consequência da falta de terras e dos poucos recursos encontrados no ambiente onde foram alojados por conta do contato com o branco. Isto está introduzindo mudanças significativas nos hábitos alimentares como o consumo de sal, açúcares e gorduras industrializadas, o que vem promovendo doenças. O grupo Mbyá-Guarani habita desde tempos imemoriais as terras que se estendem entre o Uruguai, Argentina, Paraguai, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O grupo retratado reside na aldeia vy’a, situada na localidade de Águas Claras em Major Gercino, região Noroeste da Grande Florianópolis, estado de Santa Catarina.

Variedades – 00:30:00- Santa Catarina, Brasil, 2016.

 

Direção Vandreza Amante Gabriel
Roteiro
Direção de Produção
Direção de Som
Direção de Arte
Direção de Fotografia
Edição ou Montagem
Atriz Protagonista

 

Sinopse
O vínculo do grupo Mbyá-Guarani com a alimentação está diretamente relacionado ao território, à cosmologia, aos rituais e às práticas relacionadas à saúde. A continuidade da agricultura Guarani é de essencial importância para a permanência da agrobiodiversidade e da segurança alimentar do grupo. Tradicionalmente eles se alimentavam de animais que habitam a mata atlântica como peixes, porcos do mato, pacas, aves, como o urú, frutas como abacaxi, melancia e jabuticaba, tubérculos locais, mandioca, taiá, cará, mangarito, batata-doce, diversidade de mel e uma grande variedade de espécies de milho. Atualmente recorrem à compra de alimentos e eventuais doações, em consequência da falta de terras e dos poucos recursos encontrados no ambiente onde foram alojados por conta do contato com o branco. Isto está introduzindo mudanças significativas nos hábitos alimentares como o consumo de sal, açúcares e gorduras industrializadas, o que vem promovendo doenças. O grupo Mbyá-Guarani habita desde tempos imemoriais as terras que se estendem entre o Uruguai, Argentina, Paraguai, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O grupo retratado reside na aldeia vy’a, situada na localidade de Águas Claras em Major Gercino, região Noroeste da Grande Florianópolis, estado de Santa Catarina..

(Visited 1 times, 1 visits today)

Isso deve te interessar

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *